Arquivo de Tag | notícia

A bezerrinha já tem nome

Tarefa mais difícil essa a de decidir como uma pessoa será conhecida no mundo extra-uterino não? São tantas coisas que temos que ter em conta: se o nome é fácil de entender ou se vai passar a vida soletrando o mesmo, se combina com os sobrenomes dos pais, se funciona nos dois países (nascerá na Espanha e crescerá no Brasil, não esqueçam deste detalhe), se pode gerar piadinhas e brincadeiras de mau-gosto, se é bonito, se tem força, se vai trazer sucesso, se, se, se,…

O Tourinho e eu fizemos uma pequena lista com menos de 10 nomes, porque quantos mais pior seria, e fomos reduzindo a lista até ficar em 2 ou 3 favoritos. Nesse processo todo mundo dá palpite: a família, os amigos, até o porteiro! Mas o abacaxi quem têm que descascar são os progenitores, que foram os que se meteram nessa aventura e agora têm que arcar com as conseqüências.

Pois demos umas quantas voltas, demoramos uns quantos dias, mas só um nome nos conquistou desde o comecinho, quando a bezerrinha ainda era um feijãozinho sem sexo definido: LAIA.

Laia

Sim, só quatro letrinhas, com significados distintos em ambas línguas (somos conscientes disso), mas com uma história especial que ela vai levar sempre: ela foi planejada, encomendada e será parida em Barcelona, e mesmo que seja criada como uma gauchinha mais, sempre se sentirá um pouquinho catalã.

Hoje em dia tem tanto nome maluco no Brasil, sejam estrangeiros ou inventados, que achamos que esse é dos mais “normaizinhos” até. Aqui ficam registrados os significados do nome da nossa filhota:

1º – Laia era a deusa dos laietanos, uma tribo ibérica pré-romana (século III a.C.) que habitava Laie, as regiões que hoje compõe parte da Catalunha (Maresme, Barcelonès, Baix Llobregat e Vallès). Laia “a arqueira” era a deusa da fecundidade da terra, e carrega consigo um arco (maternal, fértil, mas terrível quando se defende). Esse povo era pagão e tinha seus próprios ritos, e com a cristianização o nome Laia foi associado à Eulália.

2º – Com a associação à Eulália, se tornou seu diminutivo. Nome de origem grega que significa “a eloqüente, a que fala bem”. Composto pelo prefixo “eu” (bem) e sufixo “lalein” (falar). Santa Eulália é a padroeira de Barcelona

Eu que provavelmente concebi em pleno Halloween, amei o significado pagão do nome! 😉

Agora é torcer para que ela seja sempre muito abençoada, venha com muita saúde, e tenha todo o sucesso do mundo!

 

Fontes da pesquisa:

http://avitomas31.blogspot.com.es/2009/11/laia-o-laya-el-nombre-de-nuestra.html

http://es.wikipedia.org/wiki/Layetanos

http://mamaymama.blogspot.com.es/2009/12/diosa-laia.html

http://www.sellamara.com/nombre/laia

http://www.misapellidos.com/significado-de-Laia-23358.html

http://ciguenaencamino.blogspot.com.es/2010/01/nuestra-nena-se-llamara-laia.html

Anúncios

Habemus bezerrinh@

Siiiimm!!! Agora que completamos o primeiro trimestre já posso botar a boca no trombone e contar que a Vaquinha está prenha! Estamos muito contentes, e em breve começarei a postar as fotos da pancinha, das ecos, etc. Ah, e por supuesto que vou revelar minha identidade secreta, já que não há segredos para ninguém. No post de hoje deixo o relato (sempre longo) de como descobrimos o embarazo:

 

Com um ciclo de 43 dias e outro de 60, eu estava achando meu ciclo completamente bagunçado e decidi ir à ginecologista para ver se estava tudo bem ou se tinha alguma alteração hormonal ou coisa parecida. Ao chegar expliquei o que estava acontecendo e ela me perguntou se achava que estava grávida. Eu disse que não, porque um mês antes quando liguei para pedir a consulta havia feito um teste de farmácia e era negativo. Ela pediu para eu fazer xixi no potinho para descartar a gravidez e começarmos a investigar. A enfermeira (aqui sempre tem uma o tempo todo nas consultas ginecológicas) estava atrás de mim fazendo o teste e mostrou o resultado para a médica, quando ela veio e me perguntou:

– Mas tu queres uma gravidez ou não?

– Sim, estamos tentando.

– Pois já conseguiste, estás grávida!

– Sério???

Aqui entram as primeiras lágrimas que saltaram pela minha cara, junto à uma risada meio nervosa. Como não houve maneira de determinar tempo aproximado de gestação (eu fui exatamente pela falta de regularidade nas menstruações), me pediram uma ecografia para a mesma semana e me deram hora para ir visitar as comadronas, profissionais que fazem o pré-natal e o parto (tipo parteira mesmo).

Saí dali com o meu teste mijado na mão (tá, dentro de uma luvinha de látex) e liguei para o Tourinho, que trabalha ao lado do posto de saúde. Disse para ele descer que eu precisava falar com ele. Quando ele saiu do prédio desatei a chorar de novo, dizendo que já estávamos grávidos, que nem acreditava, e o coitado perguntando “já?”. Tentei explicar mais ou menos correndo porque ele tinha que voltar ao trabalho, mas ele estava tão surpreso que nem se alterou muito, só me dizia para me acalmar e que depois a gente conversava melhor, mas ficou feliz dentro do atordoamento dele.

No mesmo dia conseguimos fazer a eco, não deu pra ver nada além do saco gestacional, e ao final da semana tive a minha consulta com as comadronas, que me deram um livrinho-guia para ir me informando sobre a gravidez.

Duas semanas mais tarde, e segredo debaixo de sete chaves fomos fazer a segunda eco: 8 semanas de gestação e coraçãozinho batucando! Foi a deixa para contar para a family e alguns poucos amigos. Todos muito felizes, claro!

Quase completando as 12 semanas contei no trabalho (a pança já estava muito na vista) e para o casal de amigos mais próximos que temos aqui em Barcelona, e agora que temos a ecografia final do primeiro trimestre na mão já podemos gritar aos 4 ventos: HABEMUS BEZERRINH@!