Arquivo de Tag | ecografia

40 semanas! E quando ela vem?

Fechamos as 40 semanas hoje, ou pelo menos é o que se calculou em base às primeiras ecografias…sei que é só uma data que estipulam para o acompanhamento da gestação e que não é super estrita, mas é muito louco chegar neste dia, a cabeça fica meio “atontada”.

Eu queria que a bezerrinha tivesse chegado já por várias razões: para conhecê-la logo, para que fosse canceriana, para curtir uns dias só nós 3 em casa (minha família chega no final da semana desde el otro lado del charco), para começar a minha nova profissão de mãe. Mas uma das coisas que a blogosfera materna ensina é que tem que ter paciência! Para tudo, desde o comecinho da gravidez e principalmente depois de parir, mas que a hora do parto é um dos primeiros testes à paciência das novas famílias. O nenê nasce quando quer, quando está pronto, quando decide “estrear” nesse show que é a vida e ponto.

Mas é complicado administrar a ansiedade que eu mesma sinto, mais a expectativa que vai se gerando ao redor… é a família que quer saber se estamos bem, os amigos que perguntam se há alguma novidade, as “colegas pançudas” dos grupos de mamães que vão trocando informação quase em tempo real.

E daí chega a famosa lua cheia, que faz parir meio mundo menos tu. Primeiro uma das gurias das aulas de preparação, depois as famosas Juliana Paes, Kate Middleton e até a Penélope Cruz, aqui pertinho! Ai que inveja!

Hoje tive a consulta que “fecha” o pré-natal e tudo na mesma…aliás foi meu primeiro toque em toda a gravidez, o que achei ótimo, mas só serviu para confirmar que nada dela ainda. Daí a comadrona explicou que na semana que vem se não tiver parido, faço o monitoramento de contrações e batimentos fetais e falo com o gineco para que juntos discutamos as alternativas no caso de termos que enfrentar a seguinte semana. A princípio não permitem que a gente complete as 42 semanas sem induzir o parto, e isso me aterroriza. Tudo o que li, aprendi, me fez querer um parto o mais natural possível mesmo em ambiente hospitalar, e não quero que esse processo seja atropelado.

Por isso filhota, te faço um apelo: se tu estás só esperando a chegada dos teus avós e do teu enxoval “importado” do Brasil te agiliza! Só quero que o nosso momento seja nosso e seja lindo. E que ninguém meta drogas sintéticas e manobras desagradáveis no processo dessa nossa primeira vez cara a cara. De minha parte sigo na batalha: me mexendo tudo o que a preguiça permite, tomando chazinho de framboesa, me exercitando na bolota, fazendo “ginástica matrimonial” com o teu papito…e rezando para que o universo conspire a nosso favor!

Prometo que no próximo post volto ao bom humor habitual…

Mês #9

Pois é, chegamos no fim da novela! Quer dizer, ainda não vimos o último capítulo, mas rola um spoiler de que vai ter final feliz…
Faltando exatamente uma semana para a DPP estou já que não me aguento: quero ver a carinha da bezerrinha, quero começar a ser mãe, quero que o barrigão pare de pesar, que os meus pés desinchem…mas ao mesmo tempo dá medão né, e quase que torço pra ficar assim mais um tempo. Contradições gravídicas!

Na última ecografia nos confirmaram que a Laia estava de cabeça para baixo, pronta para a ação, e no percentil 45, bem na média (calcularam uns 2,8kg na semana 36). Eu fiquei super contente porque ambos dados me dão mais confiança de que poderemos tentar um parto natural sem maiores complicações. Ou seja, meus 16kg (!!!) são praticamente só meus mesmo e a coitada da guria nem tem culpa nessa gordureba toda… mas na última consulta nem tomei puxão de orelha, porque cheguei a perder 300gr depois de começar a licença. Não sei se foi porque não parei quieta, ou se porque estou comendo frutas e tomando sucos e chás como louca, só sei que curti a surpresa.

Aliás, estar de licença é tudo de bom! Poder descansar quando precisa, poder arrumar a casa e as coisas da bezerrinha no teu ritmo, resolver todas as pendências e estar tranquila de que quando nasça está tudo resolvido.

O calor deste lado da linha do Equador está acabando com a minha paciência, enfrentar as últimas semanas de gestação com temperaturas altas é bem complicado. Os pés são duas bolas as 24 horas do dia, eu suo feito bicho mesmo quando para os demais mortais o calor nem está tão forte, e dormir ficou ainda mais difícil. Eu agora antes das 3-4h da matina não prego o olho, mesmo quando estou acabada, mas pelo menos no dia seguinte posso compensar levantando mais tarde ou tirando umas siestas. O chuveiro agora é o meu melhor amigo, posso passar por ali umas 4 vezes no mesmo dia.

Malinhas prontas, o cantinho da bezerrinha devidamente organizado, e eu super atenta para captar os primeiros sinais que indiquem que chegou a hora. Aliás, será que é normal estar na semana 39 e não sentir absolutamente nada? Nem Braxton Hicks, nem tampão, nem nem nem… o que só deixa a pessoa ainda mais ansiosa, pensando que podemos passar de contagem regressiva a progressiva!

Bueno, faltando os últimos dias e as emoções finais da minha saga, só posso concluir que tive uma gravidez maravilhosa, sem sobressaltos, com todos os sintomas de enciclopédia mas tudo dentro da maior normalidade, e que se é assim que venha o resto da manada! 😉

Deixo a última fotinho da pança, depois faço uma montagem para ver todas lado a lado, e SUERTE PARA NOSOTROS:

blog9

Mês #5

A foooome domina o meu ser. Sim, tem dias mais normais, mas tem outros que sinto uma fome quase permanente… resultado? Engordei quase 4 quilos em um mês! São 8 no total. Tomei um susto e um puxãozinho de orelha da ginecologista (esse mês a consulta era com ela, não sei bem porque). É que além da fome a minha vontade de comer coisas doces e menos saudáveis também voltou, daí fica complicado. Mas estou tentando controlar um pouco, comer como estava comendo antes que ia bem, mas já decidi que não vou encanar, se tenho vontade de comer uma coisinha gostosa vou comer, só vou tentar não abusar. Ela me disse que só posso engordar mais um quilo por mês, mas DUVIDO que consiga alcançar essa meta. O engraçado é que noto que depois dos dias de fome extrema, a barriga cresce um pouco.

Além disso estou sentindo que os meus tornozelos já estão inchando, mais que os pés até, e as mãos também. Sensação pra lá de desagradável, e o meu futuro é negro porque ainda enfrentarei o verão no final da gestação.

Ah, e fui apresentada à famosa azia! Pelo menos acho que é isso…o estômago e o esôfago sofrem com uma sensação de queimação, de ardido, é bizarro. E para completar a sessão “molestias del embarazo”, o troninho anda complicado e teve dia que quase chorei de desespero querendo fazer cocô!

Esse mês tive a ecografia morfológica, a que vê se a bezerrinha está com tudo no lugar, e os resultados foram perfeitos. Também tive uns exames de sangue bem completos, e a única alteração foi o ferro, então já comecei a tomar o mesmo pelas manhãs com um copo de suco de laranja.

O meu humor está totalmente cambiante, coitado do Tourinho que em um momento tem a pessoa mais fofa e mimosa ao seu lado, e no minuto seguinte tem a vaca louca dando coice (vaca também dá coice?).

No início do mês aproveitei para dar um banho de brilho/cor no cabelo, e foi quando me dei conta que realmente cai menos. Mas não vou cantar vitória, porque sei que depois de parir é queda livre, vou ficar careca e deprimida, então…

A barriga está bem redonda, umbigo quase planinho, e linha Alba bem visível. Os peitos estão pesando tanto que acho que vou começar a dormir de top, porque já me custa ajeitá-los.

Fora as queixinhas listadas acima me sinto muito bem, mas estou super ansiosa para sentir a filhota mexer. E nos falta o nome! A galera está “nelvosa”, no instante seguinte a descobrir que era menina todos começaram a perguntar se já tinha nome definido. Tarefa difícil né não?

Aqui a fotinho do 5º mês:

blog5

E a “@” se substitui por…

Então pessoas, o blog não vai mudar de nome porque nunca sabemos qual vai ser o tamanho da manada, mas agora já sabemos se podemos chamar o filhote de bezerrinhO ou bezerrinhA. Que rufem os tambores…segundo a ecografia teremos um filhote FÊMEA!!!

Agora é botar as caixolas para funcionar e pensar em um nome para esse serzinho, e aos poucos ir batendo um papo com ela mais “personalizado”.

Bem-vinda filhota!20 semanas

Quem faz parte deste rebanho

Então tá né, já que não temos mais segredos com ninguém, já posso apresentar “la famúlia feliz”: a Vaquinha se chama Flávia, o Tourinho tem por nome André, e estes somos nós:

 

O tourinho e a vaquinha anunciam a chegada do bezerrinh@

O tourinho e a vaquinha anunciam a chegada do bezerrinh@

Ah, e para completar o quadro, este é o nosso bezerrinh@:

 

Bezerrinh@ com 12 semanas

Bezerrinh@ com 12 semanas

Ainda teremos que esperar até a ecografia da semana 20 para saber se substituímos essa arroba por uma A ou uma O, pero no pasa nada, agüentaremos o suspense.

Igualmente, como eu adoro essa história toda que inventamos, seguirei chamando a todos por nossos codinomes bovinos, que também é fofo, ok?

Besitos de los tres!

Habemus bezerrinh@

Siiiimm!!! Agora que completamos o primeiro trimestre já posso botar a boca no trombone e contar que a Vaquinha está prenha! Estamos muito contentes, e em breve começarei a postar as fotos da pancinha, das ecos, etc. Ah, e por supuesto que vou revelar minha identidade secreta, já que não há segredos para ninguém. No post de hoje deixo o relato (sempre longo) de como descobrimos o embarazo:

 

Com um ciclo de 43 dias e outro de 60, eu estava achando meu ciclo completamente bagunçado e decidi ir à ginecologista para ver se estava tudo bem ou se tinha alguma alteração hormonal ou coisa parecida. Ao chegar expliquei o que estava acontecendo e ela me perguntou se achava que estava grávida. Eu disse que não, porque um mês antes quando liguei para pedir a consulta havia feito um teste de farmácia e era negativo. Ela pediu para eu fazer xixi no potinho para descartar a gravidez e começarmos a investigar. A enfermeira (aqui sempre tem uma o tempo todo nas consultas ginecológicas) estava atrás de mim fazendo o teste e mostrou o resultado para a médica, quando ela veio e me perguntou:

– Mas tu queres uma gravidez ou não?

– Sim, estamos tentando.

– Pois já conseguiste, estás grávida!

– Sério???

Aqui entram as primeiras lágrimas que saltaram pela minha cara, junto à uma risada meio nervosa. Como não houve maneira de determinar tempo aproximado de gestação (eu fui exatamente pela falta de regularidade nas menstruações), me pediram uma ecografia para a mesma semana e me deram hora para ir visitar as comadronas, profissionais que fazem o pré-natal e o parto (tipo parteira mesmo).

Saí dali com o meu teste mijado na mão (tá, dentro de uma luvinha de látex) e liguei para o Tourinho, que trabalha ao lado do posto de saúde. Disse para ele descer que eu precisava falar com ele. Quando ele saiu do prédio desatei a chorar de novo, dizendo que já estávamos grávidos, que nem acreditava, e o coitado perguntando “já?”. Tentei explicar mais ou menos correndo porque ele tinha que voltar ao trabalho, mas ele estava tão surpreso que nem se alterou muito, só me dizia para me acalmar e que depois a gente conversava melhor, mas ficou feliz dentro do atordoamento dele.

No mesmo dia conseguimos fazer a eco, não deu pra ver nada além do saco gestacional, e ao final da semana tive a minha consulta com as comadronas, que me deram um livrinho-guia para ir me informando sobre a gravidez.

Duas semanas mais tarde, e segredo debaixo de sete chaves fomos fazer a segunda eco: 8 semanas de gestação e coraçãozinho batucando! Foi a deixa para contar para a family e alguns poucos amigos. Todos muito felizes, claro!

Quase completando as 12 semanas contei no trabalho (a pança já estava muito na vista) e para o casal de amigos mais próximos que temos aqui em Barcelona, e agora que temos a ecografia final do primeiro trimestre na mão já podemos gritar aos 4 ventos: HABEMUS BEZERRINH@!