Arquivo de Tag | introdução alimentar

9 meses de bezerrices

Gente que mês mais louco!!! O bebezinho vai embora e fica uma miniatura de gente circulando pela casa! É muita mudança para um mês só.

Levantar e fazer bagunça é tudo o que ela quer!

Levantar e fazer bagunça é tudo o que ela quer!

A Bezerrinha começou a engatinhar um dia depois do mêsversário bem na nossa frente, uns 3 “passinhos”, mas depois não repetiu o feito por alguns dias, e de repente lembrou que já sabia passear e não parou mais. Também aprendeu a ficar de pé subindo nos móveis, além de escalar na gente quando estávamos sentados com ela. Do dia para a noite tivemos que adaptar toda a sala: tiramos os objetos perigosos de cima da mesa auxiliar onde ela mais sobe, colocamos protetores nas tomadas, e como a cozinha é aberta também demos uma revisada no que está à vista, deixando uns “brinquedos” ao alcance das mãozinhas que não param.

O dentinho ficou bem à vista, e há alguns dias o segundo já deu o ar da graça. Com este veio um pouco de cocô verde de novo, mas situação totalmente controlada. E não sei por que mas babou bastante agora.

Em teoria conseguimos voltar um pouco à rotina da hora de dormir, mas obviamente tem noites que não dá nada certo e ela acaba apagando depois da meia-noite. Seguimos com mamadas noturnas, agora com o “plus” de que ela se agita um monte quando está na teta e quase se atira da cama, tenho que ficar ligadona para não rolar um suicídio.

O “vocabulário” aumentou para várias sílabas repetidas à exaustão, e descobriu que com a boca pode fazer várias brincadeiras (faz “brrr” com a boca fechada, com a língua para fora, faz rolinho com a língua e grita, uma festa de sons e baba). Aprendeu a dar beijo (abre a boca e encosta na nossa bochecha, deixando uma babinha bem gostosa) e de vez em quando dá tchauzinho (espichando o braço e mexendo os dedinhos).

Quer comer sozinha, independente e teimosa!

Quer comer sozinha, independente e teimosa!

E a comida? Parece que agora vai! Tem dia que enche bem a mão e leva à boca repetidamente chegando quase a ficar sem ar, tal a voracidade, e quando está assim de animada com a comida até permite que ajudemos dando um pouco na colher (quando é algo em pedacinhos muito pequenos ou com textura pastosa), mas ela prefere comer sozinha, pegando a colher e corrigindo o lado quando se dá conta que está chupando a ponta errada. Ao ser tão independente as quantidades engolidas ainda são relativamente pequenas, por isso continua mamando bastante. Acredito que o fato de começar a preparar comidinhas com mais ingredientes misturados e mais temperadas (mas sempre sem sal) ajudou, e tem o lance do tempo de cada bebê, talvez esse seja o ritmo dela. Mas não cantemos vitória, temos muito caminho para trilhar ainda e ter uma filha que come refeições inteiras e que vai trocando as mamadas por sólidos.

O bom tempo também nos permitiu fazer algumas primeiras experiências: brincar no balanço no parquinho e pisar a grama. O primeiro ela adora, e o segundo estranhou bastante e eu me finei de rir, agora quero que brinque na areia pela primeira vez, já contarei os resultados.

Graminha deu "coisa", nao queria tocar...

Graminha deu “coisa”, nao queria tocar…

Só posso dizer uma coisa, cada dia morro mais de amor pela fofurice extrema da minha bichinha, que venha o mês 10!

7 meses de bezerrices

A matraquice certamente é de família e chegou pra ficar! Ela “conversa” fazendo muito esforço, muitos sopros (com direito a litros de baba), muitos “ããã”, muitas “puxadas de ar”. Tem hora que parece um macaquinho por causa da gritaria e tem hora que está mais para cachorro porque fica arfando, hilário. Acho impossível descrever os sons, hehe.
Começou a provar alimentos além do leite materno, mas não come ainda. Como assim? Ofereci algumas coisas (batata, cenoura, abobrinha, pêra, arroz, aveia, polenta) mas ainda não encheu a boca, ainda fica cuspindo o que acabou de entrar, e engoliu quantidades ínfimas. O que me impressionou é que com o “nada” que chega na barriga o cocô já muda um monte. Já provou água também mas estranhou e não quis nem saber do meu leite fora da embalagem original (nem mamadeira, nem copinho).
Eu tento levar isso tudo numa boa e com calma porque não tenho que voltar a trabalhar, porque não temos uma rotina rígida, mas estou botando minhas esperanças de ter um tempo para mim assim que ela puder se alimentar e ficar umas horinhas separada da mamãe.
Ah a separação… Graças ao isolamento social de sermos expatriados sem família, a bezerrinha está um grude só! Os adultos com quem convivemos mais basicamente são as outras mães, que estão cuidando dos seus filhos e portanto raramente a pegam no colo, daí quando lá de vez em quando tento passar a bichinha para braços alheios começa o show. Chora como em dia de vacina, me olha meio desesperada, e mesmo quando resgatada rapidamente fica com aquele suspiro sentido uns quantos minutos. E isso que sou super despachada, por mim pode pegar e virar do avesso, mas imagino que seja normal na nossa situação. O Tourinho faz o possível para ajudar, mas às vezes até com ele fica chatinha.
Ah e como esse é o único inverno dela aqui na Espanha, levamos a Laia para ver a neve, e foi muito gostoso fazer a primeira viagenzinha em família. Loucura que para uma noite fora se leva mais coisas para esse bichinho do que para o casal!

20140306-231333.jpg