Arquivo de Tag | 2º trimestre

Mês #6

Entre as semanas 20 e 21 eu finalmente senti a bezerrinha mexer. Antes disso tinha sentido alguma cosquinha, algum movimento estranho, mas eram coisas muito suaves e que não se repetiam, daí eu não tinha certeza. Mas num domingo eu voltei a sentir as cosquinhas, agora mais insistentes, e umas “voltinhas” dentro da barriga que não tinha como ser gases, hehehe. Uns três dias mais tarde a festa era tão grande que já se sentia por fora e puxei rapidamente a mão do Tourinho para ele sentir a filhota. Foi muito legal, ela deu várias patadas (ou socos, ou cabeçadas, a saber…) e ficamos ali rindo que nem bobos. A cena gerou um pequeno momento “hormônios doidos” e desatei a chorar. Mas fora esse episódio estou bem pouco chorona, coisa que me impressiona, porque sou uma manteiga derretida.

Demais novidades deste mês: comecei a ir na academia! Primeiro umas sessões curtas de esteira, alguns exercícios com um elástico (no lugar de pesos), e uns passeinhos pela piscina. E agora duas aulas por semana de natação para grávidas. Já que comer menos está bem difícil, pelo menos tento gastar um pouco das calorias extra e assim vou preparando o corpo para a maratona que será o trabalho de parto.

Fiz o tal exame da glicose (o de tomar o suquinho doce) e agora tenho que esperar os resultados, espero que esteja tudo nos conformes, mas este mês não tive mais nenhuma consulta (só dentro de duas semanas).

Os peitos não incomodam… não sei se me acostumei, se estão menos sensíveis, ou se com o uso dos sutiãs apropriados e tops para dormir me sinto mais confortável. Ah e já não sou uma esponja! Ok que não sou nenhuma ninfomaníaca, mas mesmo redonda estou me achando.

Além disso a Laia já tem em casa dois carrinhos, um emprestado mais adequado aos primeiros meses, e outro comprado por nós para quando for maiorzinha, e uma cômoda também emprestada, com trocador e banheira, e que já está lotada. Ainda falta muita coisa, mas prefiro deixar o resto das compras para mais adiante um pouco. É uma sensação estranha isso de que pouco a pouco ela vai conquistando o espaço dela na casa, e não só no meu corpo…

E o principal destas 24 semanas? É que já entramos na etapa do bebê “viável”, ou seja, se nascesse prematura (toc, toc, toc, bate na madeira) os médicos já fariam o possível para que ela vingasse! Dá uma certa segurança, um tipo de alívio pensar nisso…sei lá.

Foto do panção:

blog6

A bezerrinha já tem nome

Tarefa mais difícil essa a de decidir como uma pessoa será conhecida no mundo extra-uterino não? São tantas coisas que temos que ter em conta: se o nome é fácil de entender ou se vai passar a vida soletrando o mesmo, se combina com os sobrenomes dos pais, se funciona nos dois países (nascerá na Espanha e crescerá no Brasil, não esqueçam deste detalhe), se pode gerar piadinhas e brincadeiras de mau-gosto, se é bonito, se tem força, se vai trazer sucesso, se, se, se,…

O Tourinho e eu fizemos uma pequena lista com menos de 10 nomes, porque quantos mais pior seria, e fomos reduzindo a lista até ficar em 2 ou 3 favoritos. Nesse processo todo mundo dá palpite: a família, os amigos, até o porteiro! Mas o abacaxi quem têm que descascar são os progenitores, que foram os que se meteram nessa aventura e agora têm que arcar com as conseqüências.

Pois demos umas quantas voltas, demoramos uns quantos dias, mas só um nome nos conquistou desde o comecinho, quando a bezerrinha ainda era um feijãozinho sem sexo definido: LAIA.

Laia

Sim, só quatro letrinhas, com significados distintos em ambas línguas (somos conscientes disso), mas com uma história especial que ela vai levar sempre: ela foi planejada, encomendada e será parida em Barcelona, e mesmo que seja criada como uma gauchinha mais, sempre se sentirá um pouquinho catalã.

Hoje em dia tem tanto nome maluco no Brasil, sejam estrangeiros ou inventados, que achamos que esse é dos mais “normaizinhos” até. Aqui ficam registrados os significados do nome da nossa filhota:

1º – Laia era a deusa dos laietanos, uma tribo ibérica pré-romana (século III a.C.) que habitava Laie, as regiões que hoje compõe parte da Catalunha (Maresme, Barcelonès, Baix Llobregat e Vallès). Laia “a arqueira” era a deusa da fecundidade da terra, e carrega consigo um arco (maternal, fértil, mas terrível quando se defende). Esse povo era pagão e tinha seus próprios ritos, e com a cristianização o nome Laia foi associado à Eulália.

2º – Com a associação à Eulália, se tornou seu diminutivo. Nome de origem grega que significa “a eloqüente, a que fala bem”. Composto pelo prefixo “eu” (bem) e sufixo “lalein” (falar). Santa Eulália é a padroeira de Barcelona

Eu que provavelmente concebi em pleno Halloween, amei o significado pagão do nome! 😉

Agora é torcer para que ela seja sempre muito abençoada, venha com muita saúde, e tenha todo o sucesso do mundo!

 

Fontes da pesquisa:

http://avitomas31.blogspot.com.es/2009/11/laia-o-laya-el-nombre-de-nuestra.html

http://es.wikipedia.org/wiki/Layetanos

http://mamaymama.blogspot.com.es/2009/12/diosa-laia.html

http://www.sellamara.com/nombre/laia

http://www.misapellidos.com/significado-de-Laia-23358.html

http://ciguenaencamino.blogspot.com.es/2010/01/nuestra-nena-se-llamara-laia.html

Mês #5

A foooome domina o meu ser. Sim, tem dias mais normais, mas tem outros que sinto uma fome quase permanente… resultado? Engordei quase 4 quilos em um mês! São 8 no total. Tomei um susto e um puxãozinho de orelha da ginecologista (esse mês a consulta era com ela, não sei bem porque). É que além da fome a minha vontade de comer coisas doces e menos saudáveis também voltou, daí fica complicado. Mas estou tentando controlar um pouco, comer como estava comendo antes que ia bem, mas já decidi que não vou encanar, se tenho vontade de comer uma coisinha gostosa vou comer, só vou tentar não abusar. Ela me disse que só posso engordar mais um quilo por mês, mas DUVIDO que consiga alcançar essa meta. O engraçado é que noto que depois dos dias de fome extrema, a barriga cresce um pouco.

Além disso estou sentindo que os meus tornozelos já estão inchando, mais que os pés até, e as mãos também. Sensação pra lá de desagradável, e o meu futuro é negro porque ainda enfrentarei o verão no final da gestação.

Ah, e fui apresentada à famosa azia! Pelo menos acho que é isso…o estômago e o esôfago sofrem com uma sensação de queimação, de ardido, é bizarro. E para completar a sessão “molestias del embarazo”, o troninho anda complicado e teve dia que quase chorei de desespero querendo fazer cocô!

Esse mês tive a ecografia morfológica, a que vê se a bezerrinha está com tudo no lugar, e os resultados foram perfeitos. Também tive uns exames de sangue bem completos, e a única alteração foi o ferro, então já comecei a tomar o mesmo pelas manhãs com um copo de suco de laranja.

O meu humor está totalmente cambiante, coitado do Tourinho que em um momento tem a pessoa mais fofa e mimosa ao seu lado, e no minuto seguinte tem a vaca louca dando coice (vaca também dá coice?).

No início do mês aproveitei para dar um banho de brilho/cor no cabelo, e foi quando me dei conta que realmente cai menos. Mas não vou cantar vitória, porque sei que depois de parir é queda livre, vou ficar careca e deprimida, então…

A barriga está bem redonda, umbigo quase planinho, e linha Alba bem visível. Os peitos estão pesando tanto que acho que vou começar a dormir de top, porque já me custa ajeitá-los.

Fora as queixinhas listadas acima me sinto muito bem, mas estou super ansiosa para sentir a filhota mexer. E nos falta o nome! A galera está “nelvosa”, no instante seguinte a descobrir que era menina todos começaram a perguntar se já tinha nome definido. Tarefa difícil né não?

Aqui a fotinho do 5º mês:

blog5

E as compras da Vaquinha?

Outro dia falei que uma das minhas atividades favoritas é comprar! Amo ir de loja em loja, voltar de sacolas na mão, não ter lugar no armário para tanta tralha. Louca assumida, mas não mordo ninguém. Daí que esse vício só se viu agravado aqui na Espanha, onde as liquidações – rebajas – são de chorar de emoção, com descontos de até 80% (!!!!), e a pessoa aqui fica contando os dias para começar a peregrinação atrás das barbadas.

Obviamente este ano tive que puxar o freio: primeiro porque tenho que ser mais responsável e pensar no bezerrinho que vai chegar, e segundo porque nada me serve! Mas nem que eu não quisesse, tive que ir às lojas, com a árdua tarefa de encontrar roupas confortáveis, “esticáveis” e baratas. E não é fácil… as roupas de gestante realmente bonitas são caríssimas, e eu me recuso a pagar tanto por peças que serão usadas por tão pouco tempo. As grandes redes onde costumo fazer a festa já não têm coleções específicas, com exceção da H&M que eu adoro, mas sinceramente não se puxam muito para as premamás.

A solução foi garimpar em tudo quanto é loja buscando as roupas mais soltinhas, comprar umas leggings aqui, uns vestidos e blusas de malha compridos ali, e misturar tudo. Só uma calça jeans e um par de camisetas foi o que comprei nas seções de “miss pancinha”. Bueno, e dois sutiãs porque a coisa estava ficando séria.

Ah, e os acessórios! Lembrei que a De do Bem que se quis falou dos cintos e já comprei uns fininhos para quando já não faça frio, para mostrar que não, não estou gorda, mas grávida.

Vou ver se busco alguns links com dicas e composições interessantes mais tarde, mas abaixo mostro algumas das minhas combinações com roupas que já estavam no armário e/ou recém adquiridas (favor não reparar em caras, cabelos, cenários e qualidade das mesmas, hehehe):

roupas

Mugindo alto

Ou “cá com os meus botoes”…

– comprei sutias de amamentaçao, porque já que tinha que comprar uns maiores e ia ter que gastar, pelo menos seriam úteis por mais meses: difícil achar um “menos feio” e que fique bem no corpo! Um me deixa parecendo uma senhora peitudona, e ainda por cima se escapa em praticamente qualquer decote. E o outro mais charmosinho me machuca! Pffff

– a pessoa se lambuza todo santo dia (e sou 0 disciplinada, portanto me custa muito) e mesmo assim as malditas estrias estao dando sinal…algumas novas nas tetas que já tinham um festival de rasgos da adolescência! êlêlê

– morro de sono nos momentos em que devo estar desperta, e fico completamente ligadona na hora de dormir, difícil descansar assim hein?

– e nao, o bezerrinho nao deu sinal ainda de estar correndo por esses prados, nao posso nem curtir coices…só para completar!

Tá, acabou a sessao resmungaçao, o próximo post será mais divertido, prometo! ;P

Mês #4

O estômago agora já se comporta melhor, praticamente não enjoo exceto com o cheiro do desengordurante que usamos para limpar a cozinha (insuportável) e quando estou com muita fome (mas quase não me permito chegar ao ponto da náusea). O que me chama a atenção é que tem dias que a digestão parece que está mais difícil, mesmo que eu coma coisas leves às vezes fico com aquele peso, aquele bolo que não desce direito… igualmente sigo sem vontade de comer doces (ninguém acredita que a formiga não quer açúcar) e alimentos pesados, mas pelo menos não precisa ser tudo gelado agora!

Pança em franca expansão, e recentemente me dei conta que o meu umbigo está mudando: agora já está mais raso e aberto. É meio bizarro isso, mas ossos do ofício. A linha Alba está começando a aparecer, ainda é bem fraquinha. As tetas da vaca são verdadeiros ubres, cada vez maiores, estou pensando seriamente em comprar sutiãs maiores e mais adequados… não quero nem ver quando esteja amamentando! E dá-lhe óleo Johnson’s para evitar as temidas estrias (recomendação da vacavó). Aliás, acho que é o óleo que me dá umas espinhazinhas e cravos nos peitos, mas dos males o menor.

Tive um resfriado bem fortinho este mês, e foi horroroso não poder contar com as drogas. E olha que não sou das mais hipocondríacas que corre para se automedicar, mas tem momentos em que umas pílulas são bem-vindas. Foi chá, cama e lá na finaleira, homeopatia quando eu já estava de saco cheio da catarreira.
Os passeios noturnos ao banheiro agora são toleráveis, uma ida ou nenhuma (\o/), e já não preciso atacar a geladeira na madruga. Isso sim, antes de dormir sempre rola um lanchinho. Praticamente não há maneira de dormir de bruços: antes era só por causa dos seios, mas a barriga já esmaga demais e incomoda.

Ainda não senti o bichinho se mexer, mas segundo as minhas leituras ele já pode nos ouvir. Quem sabe no próximo post já posso contar qual é a sensação de senti-lo pela primeira vez?

Registro do quarto mês:

blog4