E as compras da Vaquinha?

Outro dia falei que uma das minhas atividades favoritas é comprar! Amo ir de loja em loja, voltar de sacolas na mão, não ter lugar no armário para tanta tralha. Louca assumida, mas não mordo ninguém. Daí que esse vício só se viu agravado aqui na Espanha, onde as liquidações – rebajas – são de chorar de emoção, com descontos de até 80% (!!!!), e a pessoa aqui fica contando os dias para começar a peregrinação atrás das barbadas.

Obviamente este ano tive que puxar o freio: primeiro porque tenho que ser mais responsável e pensar no bezerrinho que vai chegar, e segundo porque nada me serve! Mas nem que eu não quisesse, tive que ir às lojas, com a árdua tarefa de encontrar roupas confortáveis, “esticáveis” e baratas. E não é fácil… as roupas de gestante realmente bonitas são caríssimas, e eu me recuso a pagar tanto por peças que serão usadas por tão pouco tempo. As grandes redes onde costumo fazer a festa já não têm coleções específicas, com exceção da H&M que eu adoro, mas sinceramente não se puxam muito para as premamás.

A solução foi garimpar em tudo quanto é loja buscando as roupas mais soltinhas, comprar umas leggings aqui, uns vestidos e blusas de malha compridos ali, e misturar tudo. Só uma calça jeans e um par de camisetas foi o que comprei nas seções de “miss pancinha”. Bueno, e dois sutiãs porque a coisa estava ficando séria.

Ah, e os acessórios! Lembrei que a De do Bem que se quis falou dos cintos e já comprei uns fininhos para quando já não faça frio, para mostrar que não, não estou gorda, mas grávida.

Vou ver se busco alguns links com dicas e composições interessantes mais tarde, mas abaixo mostro algumas das minhas combinações com roupas que já estavam no armário e/ou recém adquiridas (favor não reparar em caras, cabelos, cenários e qualidade das mesmas, hehehe):

roupas

Anúncios

4 pensamentos sobre “E as compras da Vaquinha?

  1. Na última foto finalmente dá para ver bem a barriga, Flávia. E, sim, o melhor jeito de mostrar que não está gorda e sim grávida é usando blusas e vestidos justos que marcam bem a barriga. Os cintos embaixo têm várias utilidades:

    1) Marcam a barriga e mostram que é gravidez e não gordura;

    2) Ajudam a sustentar a barriga, reduzindo o peso na parte baixa (tanto em termos de musculatura quanto de pele) e portanto minimizando dores na coluna lombar bem como evitando o aparecimento de mais estrias que o necessário.

    3) Diminuem a pressão sobre a bexiga que geralmente causam desconforto e idas mais frequentes ao banheiro.

    4) Como diminuem o peso e a pressão, isso também ajuda a evitar a abertura precoce do colo do útero, o que poderia levar a um parto prematuro.

    Em outras palavras, os cintos, especialmente os mais largos e de elástico, têm quase a mesma função que as “cintas de sustentação”, como a que usei durante a gravidez das gêmeas, lembra? A cinta, somada à medicação, foi o que me permitiu levar a gestação gemelar até os 8 meses (36 semanas), passando por cima dos dois ameaços de aborto, aos 3 meses, e dos 5 meses seguintes em repouso relativo.

    • Como nao vou me inspirar nos teus textos tao queridos? 😉
      Obrigada pelo “estilosa”, a gente tenta, hehehe

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s